A importância da Fisioterapia no tratamento e recuperação de pacientes com Covid-19

A atuação de profissionais de Fisioterapia tem em sua natureza um propósito muito nobre e até mesmo privilegiado, pois a partir do seu trabalho e das suas inúmeras áreas, é possível contribuir na saúde, bem-estar, autoestima e qualidade de vida das pessoas.

Em casos de pacientes infectados com Covid-19 que apresentaram os sintomas da doença, a Fisioterapia tem, mais uma vez, um papel muito importante pois contribui tanto no tratamento como na recuperação dos infectados.

Não somente dos Fisioterapeutas, o papel de todos os profissionais da saúde é fundamental neste momento, principalmente de médicos e enfermeiros que atuam nos procedimentos clínicos e medicação dos infectados. Por isso, o sucesso na recuperação é um trabalho conjunto e colaborativo das várias áreas da saúde envolvidas.

A Fisioterapia pode ser dividida em duas grandes áreas: Motora e Respiratória. A motora, geralmente mais conhecida, contempla tratamentos físicos, traumas e reabilitação. Mas no tratamento de pacientes que enfrentaram a Covid-19, é a Fisioterapia Respiratória que tem destaque, pois ela é fundamental no tratamento e recuperação dos problemas ocasionados pela doença.

Fisioterapia no tratamento do Coronavírus

Pacientes que enfrentam o Coronavírus sofrem principalmente de problemas respiratórios, que podem ser mais leves ou chegar a insuficiência respiratória crônica, que é a causa da maioria das mortes pela doença.

O trabalho do fisioterapeuta é avaliar o sistema respiratório dos infectados para verificar, principalmente, a troca gasosa da respiração (função principal do sistema respiratório). Com isso, identificar o nível de esforço e o nível de suporte ventilatório necessário, tanto para a ventilação não invasiva como para a mecânica invasiva, o que sempre é analisado em conjunto com médicos responsáveis, enfermeiros e demais profissionais envolvidos.

Se a infecção for leve e o paciente estiver com boa oxigenação em ventilação espontânea ao ar livre, não é necessário auxílio externo na respiração, mas é fundamental o monitoramento constante da evolução do quadro, já que há risco de complicação acelerada. Se a infecção evoluir para um caso de insuficiência respiratória, torna-se necessário a intervenção, primeiramente dos dispositivos de oxigenoterapia (cânula nasal e máscara reservatório), assim o paciente já passa a receber uma fração inspirada de oxigênio mais enriquecida, pois o ar ambiente tem apenas 21% de oxigênio.

Junto com avaliação clínica dos sinais e sintomas (dispneia que é a falta de ar), taquipneia (aumento da frequência respiratória) e hipoxemia (redução da oxigenação do sangue), associado com piora do exames laboratoriais e de imagem (radiografia ou tomografia de tórax) a alternativa é a intubação e manutenção da ventilação mecânica invasiva.

Uma característica que chama atenção entre os sintomas causados pelo Coronavírus, é o avanço rápido da infecção e necessidade de ajuda de aparelhos para respiração. Para combater esse sintomas, é necessário que seja feito uma adequação dos parâmetros respiratórios, ajustando a frequência respiratória, o volume corrente, a pressão positiva (que manter os pulmões em boas condições), entre outros parâmetros do sistema respiratório. Além disso, os sintomas possuem um curso mais longo que o normal, de duas a três semanas, o que mantém o paciente em tratamento intensivo por mais tempo e contribui na superlotação dos centros de tratamento.

Após o período crítico e a melhora na infecção respiratória, é possível retirar o suporte ventilatório.

Fisioterapia na recuperação do Coronavírus

Os fisioterapeutas também têm papel muito importante na fase de transição do tratamento, quando o paciente deixa de necessitar de auxílio mecânico para a respiração.

Nesse estágio o paciente deve retomar sua autonomia para voltar a respirar sozinho. Na segunda fase do tratamento, entra a Fisioterapia Motora, para que o paciente recupere a força muscular perdida durante o tratamento. Além da melhoria na higiene brônquica, até que, por fim, seja possível a respiração normal sem nenhum auxílio.

E mesmo depois de recuperado e da alta do hospital, é importante que o paciente faça exercícios respiratórios, principalmente devido à possibilidade de sequelas causadas pela Covid-19. É possível que alguns pacientes apresentem limitações respiratórias, desenvolvendo um quadro de fibrose pulmonar e possam até necessitar de assistência ambulatorial.

Devido a grande importância dos profissionais de Fisioterapia no tratamento do Coronavírus, o Hospital da PUC – Campinas e o Hospital de Clínicas da Unicamp se uniram, e produziram um vídeo convocando fisioterapeutas a participarem do tratamento de pacientes com Covid-19. Assista o vídeo:

Projeto Fisioterapia Sem Fronteiras Covid-19

Fisioterapia Sem Fronteiras Covid-19 é um projeto construído por um grupo de fisioterapeutas voluntários, sem fins lucrativos, com o propósito promover a saúde e melhorar a recuperação e qualidade de vida de pessoas infectadas pelo Coronavírus, oferecendo assistência e tratamento remoto por teleatendimento.

Em meio a situação que estamos enfrentando, com o vírus se espalhando por todos os cantos do país e do mundo

“Nossa missão é acompanhar e orientar, com direcionamento de ferramentas fisioterapêuticas, pacientes que permaneceram por tempo prolongado em internação hospitalar, receberam alta e estão em casa ou em instituições de longa permanência.⁣”

Atualmente já são mais de 160 profissionais da Fisioterapia voluntários e centenas de pacientes que receberam assistência e tratamentos dos voluntários. “Após entrar em contato conosco, pacientes são submetidos a avaliações específicas, e distribuídos de acordo com o grau de complexidade para fisioterapeutas de especialidades específicas”, explica a fisioterapeuta Claudia Dutkiewcz, uma das responsáveis pelo projeto, em entrevista fornecida a CNN Nacional.

O Sistema ZenFisio é parceiro desse belo projeto, oferecendo toda plataforma gratuitamente para que os profissionais registrem as informações dos pacientes e realizem os atendimento por videoconferência, tudo via sistema de forma simples e prática.

Para entrar em contato ou fazer parte dessa iniciativa, basta acessar o site: www.buscafisio.com.br/fisioterapia-sem-fronteiras. Você também pode acompanhar o projeto no Facebook e Instagram.

Publicamos um artigo especial sobre o projeto, veja aqui: Projeto une Fisioterapeutas no enfrentamento ao Coronavírus.

Assista a reportagem da CNN Brasil sobre o projeto:

https://www.facebook.com/fisioterapiasemfronteiras/videos/576250926352895/

 

Entidades da área de Fisioterapia, como os conselhos regionais e o COFFITO, também estão muito envolvidos em auxiliar os profissionais no combate ao Covid-19 e no tratamento de infectados. Inclusive, o COFFITO criou uma página específica sobre o Coronavírus em seu website, agrupando informações sobre a doença, notícias e orientações para os profissionais em relação ao tratamento e prevenção para evitar a infecção.

Também pode ser do seu interesse:

1 comentário

Deixe seu comentário!